SECOM GUIA SERVIÇOS
Alagoas, Quinta, 23 de Fevereiro de 2017
  • Enviar e-mail
  • Facebook

Alagoano que largou Medicina para ser “um dos grandes nomes da pintura” é destaque na Folha de S. Paulo

Publicado em 29 de Dezembro de 2016

Em 1981, quase ninguém em Alagoas poderia compreender o que levaria um jovem recém-formado em Medicina pela Ufal a abandonar a profissão para se tornar artista plástico.

Mais de 35 anos depois, está claro que a mudança valeu a pena.

Com exposições em cartaz em São Paulo (“Adornos do Brasil Indígena”, no Sesc Pinheiros) e no Rio de Janeiro (“Cor do Brasil”, no Museu de Arte do Rio), o alagoano Delson Uchoa é hoje reconhecido como um dos grandes nomes da pintura brasileira contemporânea.

Não à toa, é assim que ele é descrito na reportagem de capa do caderno de cultura da Folha de São Paulo desta quinta, completamente dedicado a traçar um perfil do artista e de seu método de trabalho no ateliê que mantém em Ipioca, de “onde não pretende arredar o pé”.

A reportagem escrita por Naief Haddad (que esteve em Maceió a convite da Secretaria de Turismo de Maceió) traça não apenas um perfil do alagoano, como conta como a Medicina terminou influenciando suas obras via inspiração das formas do corpo humano e de cores fortes.   

A influência das “características climáticas e culturais da região” também são apontadas na reportagem. “O ponto alto da minha identidade com Alagoas é a luz”, disse o artista na reportagem, cuja “estridência luminosa” pode ser detectada em obras como “Setembro”, um dos seus seis trabalhos apresentados na 53ª Bienal de Veneza (2009), e “Entre o Céu e a Terra”, hoje em Inhotim, em Minas Gerais.

Assinantes da Folha podem ler reportagem completa aqui.



  • Ideias
  • Agenda A ideias é um espaço plural discussão de temas comprometidos com a melhoria do ambiente de negócios e da qualidade de vida dos alagoanos.

  •  
  • Turismo
  • Vídeos

© AGENDA A 2013. All rights reserved