Novo livro sobre Nise da Silveira mostra por que alagoana merece, sim, ser considerada “Heroína da Pátria”

Rodrigo 12 de julho de 2023

 

Fábio Lins (acima), autor de “Nise da Silveira e a Administração Pública”, revela trajetória da alagoana como servidora pública

Em fevereiro de 1975, a psiquiatra alagoana Nise da Silveira, aposentada compulsoriamente após ter completado 70 anos no dia 15 daquele mês, decidiu ignorar a burocracia e se dirigiu ao bairro de Engenho de Dentro, no Rio de Janeiro, para se apresentar ao trabalho no Museu das Imagens do Inconsciente.

“Sou a mais nova estagiária, voluntária, não quero ganhar nada”, teria dito Nise, inconformada por ser obrigada a deixar a carreira no serviço público iniciada ainda em 1933, pouco depois de se formar como única mulher de sua turma da Faculdade de Medicina de Salvador.

Mais conhecida como a psiquiatra e pesquisadora que revolucionou métodos de tratamento de pacientes mentais (conquistando admiração de personalidades como o psicanalista Carl Jung, com quem estudou na Suiça e trocou cartas), a alagoana Nise da Silveira ganha agora uma nova biografia destacando sua trajetória como servidora pública.

Em “Nise da Silveira e a Administração Pública” (Editora Forum), que será lançado oficialmente na próxima Bienal Internacional do Livro em Alagoas (dia 12 de agosto, das 19h às 21h, na Sala Mangaba),o procurador e escritor alagoano Fábio Lins resgata episódios como o acima para lançar um novo olhar sobre a alagoana e sua luta não apenas para contestar métodos que considerava desumanos (e pouco efetivos) no tratamento dos pacientes, como também para inovar e construir espaços para suas famosas oficinas de produção artística e de terapia ocupacional com animais.

“Como a inovação hoje em dia está muito associada a novas tecnologias, nem todos se dão conta do quão inovador e ousado foi o trabalho de Nise dentro de um hospital onde boa parte dos médicos não via inicialmente seu trabalho com bons olhos”, disse Fábio Lins a AGENDA A.

Fábio, que além de livros sobre Direito Administrativo já escreveu também sobre passagens marcantes de grandes personalidades alagoanas (que resultou no livro Atrevidos Caetés), além de ter escrito também sobre o papel de outros alagoanos na gestão pública (como “Graciliano Ramos e a Administração Pública” e “Pontes de Miranda e a administração pública”), conta que a decisão de escrever sobre Nise foi acelerada após o veto do presidente Jair Bolsonaro do projeto de lei propondo a inscrição do nome da psiquiatra alagoana no Livro de Heróis e Heroínas da Pátria.

“A partir da leitura deste livro, espero demonstrar minimamente que, ao contrário do que foi alegado no veto, Nise merece, sim, figurar entre as heroínas da pátria”, diz Fábio Lins. “Não apenas pelo impacto do seu trabalho que mudou o tratamento psiquiátrico no Brasil, como também pela servidora pública e ser humano extraordinário que continua a inspirar a todos com sua trajetória”.

O livro Nise da Silveira e a Administração Pública já pode ser encontrado no site da Editora Fórum (clique aqui) ou via o WhatsApp do autor no (82-996623434).