Com novo resort all inclusive, grupo alagoano consolida maior projeto turístico-imobiliário de Maceió

Rodrigo 1 de março de 2024

Imagens do novo resort all inclusive do grupo MME: filhos do fundador Luiz Vasconcelos tornaram realidade  maior complexo turístico idealizado pelo pai  

Ao morrer precocemente aos 60 anos, em outubro de 2019 (vítima provavelmente de uma malária contraída em viagem), o empresário alagoano Luiz Vasconcelos não teve a chance de ver pronto o complexo turístico-imobiliário idealizado por ele em uma área de 17 hectares (170 mil metros quadrados) na praia de Ipioca, litoral Norte de Maceió.

A maior parte do que ele sonhou para a região, contudo, acaba de ser concretizada com a inauguração por seus filhos dos primeiros 100 quartos (de um total de 278) do novo Maceió Mar Resort ALL Inclusive, primeiro all inclusive do grupo alagoano MME — que se soma aos 256 quartos já entregues do Ipioca Beach Resort (de multipropriedade) e a outros mais de 200 apartamentos residenciais em construção.

Voltado para a categoria premium, o novo resort tem 1500 metros quadrados só de piscinas (adulto, infantil e hidromassagem), áreas de lazer focadas em diversos públicos (de academia a espaço crossfit, de salão de jogo a espaço Kids e cinema) e foco principal na gastronomia, que inclui não apenas o restaurante principal do complexo, Tanino,  como ilhas gastronômicas temáticas (“Raízes Nordestinas”, “Bistrot Europeu” e “Leve Bistrot Fit”), bar de piscina com drinks,  parrillas e petiscos, “Royal Pub & Bar” e até carrinhos com mais de 10 tipos de hot dogs.

“A abertura do primeiro resort all inclusive do grupo é, sem dúvidas, um grande desafio, mas temos confiança no sucesso por ser um empreendimento que conta com  três grandes pilares: localização, com o privilégio de estar de frente às piscinas naturais de Ipioca; produto, com design, arquitetura e estrutura projetada em detalhes; e serviço, seja da nossa gastronomia, seja por nosso jeito de atender”, diz Adriana Vasconcelos, diretora comercial do grupo, destacando que cerca de 60% dos contratados são da comunidade do entorno de Ipioca.

Com o resort, o complexo turístico e imobiliário, que terá ao todo mais de 730 unidades hoteleiras e residenciais (além de um condomínio de casas de luxo), se consolida como o maior hub de desenvolvimento turístico da região atraindo, inclusive, outros empreendimentos e serviços que incluem marcas locais de restaurantes (como a pizzaria Santorégano), clube de praia (Praêro), lanchonetes e sorveterias (como Bali e Sports Burger) e outras lojas que circundam o Boulevard Luiz Vasconcelos, com 700 metros de extensão, que se tornou um grande calçadão e ponto de encontro para visitantes.

“Acredito que um dos segredos do sucesso do complexo decorre também dessa preocupação com a criação de uma série de espaços que valorizam a interação entre as pessoas e as famílias”, diz Hugo Nen, da Efetiv Consultoria, que acompanhou como consultor a construção do complexo. “E essa visão que nasceu ainda com o fundador e vem sendo rigorosamente seguida pela família terminou criando uma verdadeira comunidade que tem alto impacto na economia e geração de empregos de Ipioca”.

Além do complexo em Ipioca, o grupo MME segue sua expansão na orla urbana de Maceió com a bandeira Acqua (Acqua Suítes, Acqua Inn e Acqua Prime), o pioneiro Maceió Mar Hotel, na Ponta Verde, somando a gestão de mais de 1210 quartos (próprios e de terceiros) somente em Maceió — enquanto já se prepara para lançar seu primeiro empreendimento em Maragogi.

De certa forma, a expansão do grupo MME mostra também a mudança de patamar das redes alagoanas de hotelaria ao lado de grupos como Ponta Verde (responsável também pela revalorização da Praia do Francês), Tropicalis, Brisa, entre outros. Se há pouco mais de dez anos o governo do Estado anunciava que o maior complexo hoteleiro em Ipioca seria construído pelo então grupo GJP, ligado à CVC Corp (maior operadora de turismo da América Latina), o maior hub turístico-imobiliário da região (que chegou a contratar cerca de 500 pessoas na etapa de finalização e tem previsão de gerar 370 empregos diretos quando finalizado) terminou saindo do papel pelo grupo fundado há 34 anos por Luiz Vasconcelos com a abertura do primeiro Maceió Mar Hotel.