Marco dos Corais projeta Alagoas em indicação de prêmio nacional de urbanismo; vote aqui

Rodrigo 13 de março de 2024

Marco dos Corais: projeto desenvolvido pelos arquitetos Ricardo Leão e Tiago Angeli (acima à direita) disputa premiação na categoria urbanismo do site ArchDaily

Uma das mais importantes intervenções urbanas na orla de Maceió começa a projetar Alagoas nos grandes prêmios de urbanismo.

O projeto Marco dos Corais, desenvolvido pelo escritório de arquitetura alagoano Angeli Leão (dos arquitetos Tiago Angeli e Ricardo Leão), é um dos dois projetos no Brasil pré-indicados na categoria urbanismo na 8ª edição do Prêmio ArchDaily Brasil Obras do Ano 2024, coordenado pelo braço em língua portuguesa da plataforma online de Arquitetura e Design ArchDaily, que atualmente está sediada em Santiago do Chile com filiais em Berlim, Xangai e Cidade do México.

No site da plataforma (para votar, basta se cadastrar no site e entrar na categoria urbanismo aqui), o projeto do Marco dos Corais é um dos dois indicados na categoria urbanismo ao lado do projeto de um mirante no Morro do Quadro, localizado na Grande Vitória, no Espírito Santo.

A obra na orla da Ponta Verde, que se tornou referência na criação um espaço público com o principal foco de valorizar a paisagem do entorno da região e da contemplação do mar repleto de recifes de corais, ganhou destaque não apenas pelo traçado paisagístico que valoriza o pedestre, como também pela escolha dos materiais como vidros (que valorizam a paisagem), mobiliário urbano de alto padrão e até traçados de luzes e indicadores que servem de guia para que o visitante conheça outras praias no Estado cercadas de corais. 

“Estamos muito felizes por representarmos Alagoas na premiação com um projeto que teve como principal objetivo valorizar ainda mais a nossa paisagem, em vez de obstruí-la”, diz o arquiteto Tiago Angeli, do escritório Angeli Leão.

O arquiteto Ricardo Leão lembra que o projeto só foi viabilizado por um trabalho em conjunto da então Secretaria de Infraestrutura do Estado (liderada à época pelo ex-secretário Maurício Quintella), assim como pelo apoio de associações privadas locais. “Fomos convidados a contribuir para o projeto exatamente por entendermos o potencial daquele espaço público não apenas como centro de convivência  e qualidade de vida urbana, como também de referência e valorização dos corais que vivem no entorno”, diz Ricardo Leão.