Gigante europeia de chocolates finos escolhe Maceió para abertura de primeiro centro de distribuição no Nordeste

Rodrigo 11 de julho de 2023

Abertura do primeiro centro de distribuição em Maceió tem como meta expandir vendas na região Nordeste em ao menos 20%

A empresa Barry Callebaut, gigante global no segmento de cacau e chocolates com sede em Zurique, na Suíça (fruto da união em 1996 da belga Callebaut com a marca francesa Cacao Barry), escolheu Maceió para a abertura de seu primeiro centro de distribuição no Nordeste ainda neste mês de julho no Polo Multissetorial Governador Luiz Cavalcante, no Tabuleiro dos Martins.

Com 670 metros quadrados de espaço, a abertura do novo centro de logística em Maceió faz parte da estratégia do grupo de aumentar em ao menos 20% as vendas na região Nordeste ao agilizar o tempo de entrega para seus clientes que incluem indústrias, distribuidores e chefs que usam os produtos do grupo como base para suas criações.

“O maior alcance geográfico na região vai incrementar nossa capacidade de atender uma fatia mais significativa do mercado e também servi-lo com mais rapidez”, diz Paul Halliwell, Diretor Executivo da Barry Callebaut para a América do Sul.

Ainda de acordo com a empresa, Maceió foi escolhida por sua localização estratégica entre os Estados do Nordeste e o centro de distribuição armazenará todo portfólio da companhia, incluindo tanto os produtos importados das marcas Callebaut, Cacao Barry, Mona Lisa e Carma, como da marca brasileira Sicao, produzida na única fábrica do grupo no Brasil localizada na cidade de Extrema, Sul de Minas Gerais (que permanecerá a partir de agora servindo de base de distribuição no Nordeste apenas para Estado da Bahia).

“A escolha de Maceió se deve, principalmente, por ser uma cidade com localização estratégica para as aspirações de expansão da Barry Callebaut e por gerar uma melhora significativa no nível de serviço para os clientes, com uma redução aproximada de 40% no tempo de entrega”, diz Bruno Scarpa, diretor comercial de Barry Callebaut para a América do Sul.

A companhia informou ainda a AGENDA A que não descarta a possibilidade de ampliação do centro de logística no Estado caso o desempenho dos primeiros meses de operação supere as expectativas do grupo para a região.